Skip links

Por que você deveria comprar mais de pequenos negócios

Pintura do Scott Listfield

Já falemos isso de cara: Provocadores é uma agência focada em pequenos negócios. Consequentemente, já temos uma preferência clara. Mas muito além disso, pequenas empresas têm uma importância imensa na economia, inovação e para a sociedade. Considerar esse fator no processo de decisão de compra é também parte de uma escolha política.

Consumo consciente será um tema recorrente neste ano tanto nesse blog quanto em projetos do Provocadores. O consumo, na nossa visão, é uma espécie de “eleição” cotidiana, em que “votamos” naqueles com quem nos identificamos e que atendem nossas necessidades. Para votarmos certo, precisamos de informação. E, talvez, de um pouco de problematização também. Então vamos começar a analisar o caso grandes versus pequenos.

A era das grandes empresas

É uma característica própria do capitalismo. Com uma regulação fraca, as empresas vão ficando infinitamente maiores – quanto mais poder possuem, fica mais fácil conseguirem mais poder. A concentração em algumas indústrias nos dias de hoje é tão grande que muitas empresas possuem mais poder e recursos financeiros que países inteiros. Se não bastasse o crescimento acelerado, empresas enormes são compradas por outras gigantes, ou se fundem em monstrengos muito maiores.

Nós, enquanto consumidores, desfrutamos das vantagens de consumirmos desses titãs. No campo da tecnologia, por exemplo, ter uma plataforma única permite que criemos aplicativos e soluções para muito mais pessoas. Comprar produtos industrializados de empresas de grande porte aumenta o grau de confiança que temos de que determinados padrões de qualidade estão sendo seguidos (ou de que pelo menos você terá alguém para processar caso não estejam). Os altos investimentos em pesquisa e desenvolvimento dessas corporações também permitem que desfrutemos de produtos com tecnologia de ponta.

As desvantagens, porém, não são menores. Poderíamos citar que, em primeiro lugar, empresas mastodônticas assim não têm donos na maioria das vezes. Empresas de capital aberto têm diversos acionistas que encaram essas companhias como máquinas: coloca-se dinheiro de um lado e se espera que saia mais dinheiro pelo outro. O processo de como acontece não é tão importante quanto os resultados.

É óbvio que empresas desse porte não são invulneráveis a escândalos de conduta. Porém, possuem uma estrutura para calcular riscos e, nas situações em que a censura fraca do politicamente correto não for clara, ou quando não há risco de serem responsabilizadas, as decisões favoreceram a empresa, não importando as consequências.

(Sim, essa não é uma lógica exclusiva de empresas grandes. Porém, quando há muito poder envolvido, os resultados podem ser muito mais impactantes e duradouros)

Além disso, muitas empresas grandes atuam como agentes anti-inovação. Donas de milhares de patentes, apenas a ameaça de processo de violação de propriedade (que nos EUA custam em média US$ 1,33 milhão só para seguir com o caso) já pressiona empreendedores a fechar ou vender suas empresas em uma tentativa de acordo.

A importância das pequenas empresas na economia

Segundo o Panorama de Pequenos Negócios 2018, pequenas empresas correspondem a 98% do total de empresas em São Paulo, sendo responsáveis por 50% dos empregos, além de 39% da massa salarial e a 27% do PIB do estado.

A dificuldade de ser um pequeno empreendedor

Estranhei quando vi, por acaso, a agenda da presidência (quando esta cadeira ainda era ocupada pela Dilma): um encontro 1:1 com o então presidente da Shell. É comum chefes de estado se encontrarem privadamente com presidentes de empresas?

Também vimos como os irmãos da JBS tinham intimidade e passe livre com diversos políticos. Nesse caso, não estou nem problematizando a corrupção (embora empresários desse porte muitas vezes sejam atores protagonistas nesse processo). A verdadeira questão em jogo é que empresas grandes têm seus interesses muito bem representados pelos poderes políticos. A influência entre ambos é mútua.

E os pequenos empreendedores?

Por mais que tenhamos avançado em algumas políticas públicas, como o Simples Nacional e os MEIs, ainda há muita burocracia para se empreender no Brasil. Além disso, o acesso a crédito barato é apontado por pequenos negócios que fecharam como um dos principais fatores que poderiam ter salvo suas empresas. O marketing e, por consequência, a aquisição de novos clientes também são um grande desafio para pequenos empreendedores, que muitas vezes optam por tentar executar os esforços de divulgação e captação por si mesmos.

A taxa de sobrevivência de pequenas empresas era de aproximadamente 77% em 2014. Ou seja, aproximadamente 1 em cada 4 empresas registradas no CNPJ fecha antes de completar 2 anos no mercado. Se excluirmos os MEIs desse contingente e considerarmos apenas as Micro Empresas, a taxa de sobrevivência foi de apenas 45% em 2012.

Vantagens de pequenos negócios

Nem só de desafios e problemas vivem os pequenos empreendedores.  Como mencionamos antes, esse tipo de organização tem impactos positivos importantes na sociedade e na economia. Listamos alguns fatores

Sustentabilidade

Pequenos negócios possuem um nível maior de controle sobre o seu processo. Em outras palavras, o dono conhece com mais profundidade seus fornecedores e de que maneira seu produto/serviço é produzido ou executado.

Assim, situações que já vimos acontecer com empresas grandes, como descobrir que sua produção trabalha em condições análogas à escravidão por ter terceirizado parte da sua produção, tornam-se menos prováveis.

Investimento local

Pequenos negócios têm grandes impactos na região em que operam. Nesse tipo de empresa, é comum preferir empregar pessoas que moram próximas a onde estão instaladas. Já quando empresas grandes se movem para outra localidade, é muito comum que uma boa parte da equipe já esteja formada e venha junto com a companhia.

Ao comprar de um negócio local, aumenta-se a chance de que os recursos fiquem na região, em vez de serem centralizados em contas corporativas de grandes centros e de países onde ficam as matrizes das empresas.

Inovação

Embora possuam recursos muito mais limitados disponíveis para pesquisa, empresas de pequeno porte são um grande motor da inovação. Por se concentrarem em um nicho de clientes, é comum que essas empresas criem soluções criativas para necessidades específicas que estavam sendo negligenciadas por empresas maiores e com maior número de clientes.

Diversidade

Feche os olhos por um segundo e imagine a diretoria de uma grande empresa multinacional. Seja em suas filiais ou na matriz, quanto mais você subir na hierarquia, mais tenderá a ver o mesmo estereótipo do perfil da elite econômica: homem, branco, heterossexual, mais velho.

Pequenos negócios, porém, retratam muito mais de perto a diversidade da população. Segundo pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) realizada pelo Sebrae em 2017, negros são a maioria nos pequenos negócios do Brasil. Aproximadamente um quarto da população com deficiência visual, auditiva, física ou intelectual empreende no Brasil segundo o mesmo Panorama de Pequenos Negócios. O número de mulheres empreendendo ainda é relativamente baixo, mas esperamos que ele comece a crescer nos próximos anos.

Vamos destruir as empresas gigantes?

Não. Não precisamos tanto. E, sendo honesto, isso nem seria possível. Algumas partes do texto soam um tanto radicais e maniqueístas (já que para argumentar muitas vezes não convém soar morno), mas a realidade é muito mais complexa.

Empresas grandes, gigantes, mastodônticas sempre irão existir. Isso não é completamente negativo. Não seria inteligente colocar todas as empresas grandes no mesmo saco só por conta do porte. Também são inegáveis todas as benesses que temos desfrutado até hoje graças a esse tipo de organização, além de muitas dessas companhias estarem contribuindo para um mundo melhor à sua maneira.

O critério para escolha entre grandes e pequenas empresas também não é absoluto. Trata-se mais de um fator diferencial. Existem milhares de variáveis a serem analisadas. Ambos produtos têm qualidade semelhante? Tanto um serviço quanto o outro atende suas necessidades? O quão profissional é essa empresa de pequeno porte?

Ao mesmo tempo, é interessante incorporar essa avaliação ao nosso mindset. Ao refletir antes de consumir e optar por pequenos negócios, damos uma oportunidade a um sistema um pouco mais equilibrado de poder. Quando você compra de empresas pequenas, você está empoderando pessoas como você e eu.